domingo, abril 11, 2010

Pérola que Habita o Céu!


Comovido com os olhares de sofrimento de Benjamin Junior: filho que chorou à beça a perda prematura de um grande amigo de sonhos - o seu sofrimento entristeceu-me muito -, resolvi resgatar e publicar o poema abaixo, anteriomente dedicado um outro jovem (Rudy, cria de Cintia, minha grande amiga) que também nos deixou na flor da juventude.

“O amigo é a resposta aos teus desejos.
Mas não o procures para matar o tempo!
Procura-o sempre para as horas vivas.
Porque ele deve preencher a tua necessidade,
mas não o teu vazio”.  

(Em Memória de Victor Barros Maneschy)

Responda-nos Victor
onde quer que você esteja...

Será
que se alguém te dissesse (antes da partida)
que o barco era sem velas,
que a noite era fria no vão das janelas irremovíveis,
o rio difuso,
a noite morta
e a porta sem uso,
será que assim mesmo Victor
por-te-ias a fugir apressado da aurora
sem (antes) ouvir o lamento dos vindouros
70 anos de ti?

Responda-nos Victor
onde quer que você esteja...

Será
que se alguém te falasse (antes do arranque)
que a estrada era sem sinais luminosos,
que o ponto de partida era lotado,
que o chão de pétalas era negrejado,
a viagem confusa,
o entreolhar espantado
e a cerimônia restrita,
será que assim mesmo Victor
por-te-ias a completar a órbita do nunca
sem (antes) olhar a espaçonave que te guia
desdizendo dos que (desde já saudosos...)
ainda te têm?

Responda-nos Victor
onde quer que você esteja...

Revela-nos o irrevelável!



Page copy protected against web site content infringement by Copyscape
Creative Commons License 

9 comentários:

IVANCEZAR disse...

Cá estou -me especializando em inaugurar comentários a teus poemas, talvez como tributo divino à pública e revelada admiração !!
O poema, como lança certeira , atravessa o coração fazendo-o verter emoção . Que belo trabalho !!

Danilo de Abreu Lima disse...

benny,
estava com audade dos teus p´poemas, lá do overmundo, que, por sinalo, ficou muito prá baixo..
seu poema essa ode ao amigo morto é uma bela expressão de sdaudade e de imprecisão...tão imprecisa a vida quanto0 inaexata a morte- mas nada se sabe de ambas...
obrigado pela visita, e por esse belo poema
danilo.

LiLa BoNi disse...

Benny...tu sabes que te amdiro muito...cada vez + !!!
Adoto te ler...embora poemas tristes...
Milb eijos !!!!

Cíntia Thomé disse...

Jai guru deva

Zélia Guardiano disse...

Benny, Benny, Benny,
meu novo e querido amigo!
Bateu fundo; bem no âmago do espírito. Não adiantaria disfarçar: ferro em brasa a marcar... Lindo demais!!!
Parabéns!!! Mil vezes!!!
Um abraço

jefhcardoso disse...

Olá Benny! Esta semana estou divulgando uma “nova” postagem. Trata-se de um conto; que na verdade vem a ser uma reedição de meu blog. Sua postagem original ocorreu em 13.02.09; sendo esta a minha terceira postagem no blog. Naquela ocasião este texto não recebeu nenhum comentário. O texto é “O Sr. e o Dr.”. Espero que você, tendo um tempinho, o aprecie.
Um grande abraço, minha gratidão antecipada!

Jefhcardoso do http://jefhcardoso.blogspot.com

jefhcardoso disse...

Benny, pensei em uma maneira de falar e homenagear a todos que tanto vêm me incentivando com o carinho e apoio que me doam.
Escrevi uma crônica pensando em nós blogueiros. Falei sobre o que penso ser o blog para nós. Você pode concordar ou discordar; pode também acrescentar; mas não deixe de opinar. Leia e entenderá por que a sua opinião é indispensável para mim e para todos blogueiros.

Abraço do Jefhcardoso do http://jefhcardoso.blogspot.com

Thiers R > disse...

É um gole travoso, desce, se agarra, entorpece. É um gole de dor.
Fugir apressado da aurora?
Que história ficou além dos soluços?
Muitas vezes tenho medo, medo do inevitável, dos sinais luminosos, do descaso, das pedras do caminho.
Benny fantástico!
triste, pesado e real
Uma pedra na moleira

abs
> visite-me

Fábio disse...

Olá gostaria de convidá-lo a conhecer meu trabalho através do blog Ecos do Teleco Teço (WWW.ECOSDOTELECOTECO.BLOGSPOT.COM) . Grande abraço e sucesso com sua proposta !! Axé