quinta-feira, maio 06, 2010

Especioso Ébano




Moendas de
especiosos respiros, egos revoltos
(mademoiselles
cinéfilas em óbito de gozo)
são percings de fendas peraltas
desbastados
pelo russo embriague
e seu ébano-retrato.

Já houve dias
em que o poema da vala
transpassava décimo pecado
de terceiros
semideuses, brochas.

Praticava
sexo com febre palustre,
mas agora, a rigor,
robotizado, desdém
do após-féretro
da efígie.

Oferenda
de sangue à beira do ataúde?
– O ângulo esnoba.
Tétano
de palavras gozadas no motel
da autovia prenhe?
– A Ursa Menor resvala.

Certos circunlóquios e demais artilharias,
lutariam contra isto:
pouso
de sempre-flamas
conflagradas
e ocultando
solúveis cadáveres
das segundas-feiras
(de somenos valia)
de um sempiterno soluço
qualquer.

No poema
duas lentes-demão escondem
o sacrifício do arqueiro:
farol de milha
que em frente ao portrait negro de Oleg
engalana o poema
pois patenteia
o vago de setas a partir.

Perdido em êxtase
um monge
medita em avalanche
e sob quatro angulares alude-me
que eu seja o rugido
que ainda resiste
em alguma Boulevard de Belém
que não se rende
ao logro dos vermes.



Page copy protected against web site content infringement by Copyscape
Creative Commons License 

5 comentários:

jefhcardoso disse...

Olá Benny, estou aqui em uma visita relâmpago, vim lhe convidar a ler o novo capítulo de “O Diário de Bronson (A Continuação de O Chamado)” e deixar o seu comentário.
Retornarei com melhores modos. Tenha uma boa semana.
Abraço do Jefhcardoso!
http://jefhcardoso.blogspot.com

Thiers R > disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Thiers R > disse...

Belo trecho este:
"...

Perdido em êxtase
um monge
medita em avalanche
e sob quatro angulares alude-me
que eu seja o rugido
que ainda resiste
em alguma Boulevard de Belém
que não se rende
ao logro dos vermes.
...."

Sempre visito teu blog. Desde o over passei a ler teu trab.
Penso q este espaço é pra comentar aquilo q escreves, pero, vejo recados de outros fazendo convites
p/ q visites outros blogs. N tem nada a ver. Venho aqui para te ler e como sempre gosto muito.
abs, amigo

Caio Martins. disse...

Franklin, apóio a opinião acima, de Thiers... Destacara o mesmo trecho:
"Perdido em êxtase
um monge
medita em avalanche..."


Certamente, deslumbrou-se, senão com as palavras, com a imagem onírica que as ilustra.

Forte abraço.

Anônimo disse...

Oi Benny Franklin
Saudações e parabéns pelo belíssimo site!
Especioso Ébano é uma maravilha.
Um abraço!
Raimundo Candido
www.raimundinho.hpg.com.br